A cafeína

(4)

A cafeína é uma substância natural de origem vegetal. É utilizada devido às propriedades estimuladoras do sistema nervoso. A cafeína encontra-se sobre várias formas, em bebidas tais como o café, o chá, as sodas industriais, bebidas energéticas, encontra-se também em especialidades farmacêuticas e complementos alimentares.

Onde encontrar cafeína?

A cafeína encontra-se naturalmente nos grãos de café, nas folhas de chá, no chocolate, nas favas de cacau e nas nozes de cola. Existem 63 espécies vegetais cujas folhas, os grãos ou os frutos contêm cafeína.

Teor em cafeína:

Os grãos de café: 0,6 – 2% para o arábica e 3 – 4,5% para o robusta
Folhas de chá: 2,2% para o chá verde e 4% para o chá preto
Favas de cacau: 0,05 – 0,30%
Guaraná: 2 – 5,8%
O mate: 0,3 – 2,4%
Noz de cola: 1,5 – 3%.

Efeito ergogênico da cafeína

A explicação precisa dos efeitos ergogênicos da cafeína permanece desconhecida. Parece que o efeito ergogênico da cafeína durante o exercício de resistência ou de forte intensidade resulta na utilização facilitada das gorduras como fonte de alimentação do esforço, preservando ao mesmo tempo as reservas limitadas em glucídios do organismo.

Apesar das melhorias de desempenho de resistência serem geralmente devidas a toma de cafeína, temos de considerar antes de mais a influência da nutrição na variação da resposta após o consumo de cafeína. De facto, as diferenças de sensibilidade à cafeína, de tolerância e de respostas hormonais constatadas nos indivíduos após o consumo de cafeína em médio e longo prazo, obrigam a relativizar as qualidades ergogênicas desta substância.

Aviso sobre a cafeína

Os indivíduos que habitualmente não consomem cafeína podem sentir efeitos secundários indesejados ao consumir. A cafeína estimula o sistema nervoso central e pode provocar nervosismo, dores de cabeça, insônias, irritabilidade, palpitações, tremor, agitações psicomotoras, aumento do ritmo cardíaco e da pressão arterial.

Na parte da termo-regulação, a cafeína atua como um potente diurético, o seu consumo pode provocar uma perda inútil de liquido antes de um esforço físico e perturbar a regulação térmica e o desempenho esportivo em ambientes quentes.

A ingestão de pequenas doses de cafeína poderá ter efeitos favoráveis, no entanto, o consumo em excesso pode ter consequências dramáticas.

Cafeína e dopagem

O CIO autoriza o consumo de cafeína pelos esportistas sempre que a concentração na amostra de urina não ultrapasse os 12mg/ml. Apenas, 0,5 a 3% da cafeína ingerida encontram-se na urina, o resto é em grande parte utilizado pelo fígado, com diferenças relativas consoante os indivíduos. Os esportistas devem saber que 600 a 800 mg de cafeína (4 a 7 chávenas de café) consumidos em 30 minutos aumentam de forma significativa a concentração de cafeína na urina que pode levar até à desqualificação durante uma competição.

De notar, a cafeína é a única substância para a qual existem limites urinários impostos pelo CIO.

De acordo com a agência mundial antidopagem, a cafeína não é considerada como uma substância proibida. No entanto, consta no programa de vigilância 2014. (http://www.wada-ama.org/fr/).

 

Marie Fauchille
Nutricionista
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Vote
VOLTAR PARA O TOPO